quarta-feira, 22 de setembro de 2010

A Imagem no Contexto da Informação

Desde a pré-história, ou seja, antes da invenção (ou seria descoberta?) da escrita, as imagens já eram utilizadas como uma forma de comunicação. É uma certeza afirmar que toda imagem contém uma mensagem, um significado, seja ela em quaisquer formatos: pintura, desenho, fotografia, imagens tridimensionais, como as esculturas, imagens em movimento, tal qual cinema, televisão, etc. E tudo está em um constante processo de evolução.

No século XIX ocorreram grandes descobertas em experiências utilizando câmara escura, dando início à fotografia. Em diversos lugares do mundo ousados pesquisadores desenvolveram diferentes técnicas, sendo creditado como precursores o francês Joseph Nicéphore Niépce (1765-1833) e o pintor Louis Jacques Mandé Daguerre (1787-1851).
No decorrer do século XX a fotografia passou a ter uma relevância na imprensa através do fotojornalismo. Também no século XX as técnicas de revelação evoluíram, os equipamentos tornaram-se cada vez mais portáteis, leves e discretos. No final desse mesmo século surge a fotografia digital, que conquistou não só os profissionais do jornalismo (pelo fato de ser muito prático ver à foto no momento em que foi registrada pela câmera, não precisando usar um filme inteiro e revelação posterior para constatar como saiu a imagem), mas, principalmente usuários ocasionais.

Muita gente taxa a fotografia tradicional de anacrônica, dizem que caiu em desuso e deve ser aposentada. Eu discordo. A fotografia analógica apresenta um aspecto visual muito mais bonito, de um ponto de vista artístico, do que a fotografia digital.

Como a fotografia apresenta um indício visual do passado, deve conter informação do momento em que foi produzida, respeitando elementos básicos da organicidade arquivística como a proveniência e a atividade geradora do documento. Normalmente a organização valoriza mais a informação visual do que o contexto de produção do documento fotográfico.

Levando em consideração o conceito mais elementar que afirma que é diferença básica entre o trabalho do arquivista e o do bibliotecário é o suporte, os arquivos dependem de análise da necessidade do usuário e das características dos documentos e a organização de livros segue padrões internacionais, é interessante questionar: por que em algumas instituições a fotografia não é tratada como documento arquivístico? Em alguns casos até utilizam o WiniSIS como base de dados para organização, como se fossem itens de biblioteca.



Referências:

OLIVEIRA, Erivam Morais de. Da fotografia analógica à ascensão da fotografia digital. Disponível em: http://www.bocc.uff.br/pag/oliveira-erivam-fotografia-analogica-fotografia-digital.pdf. Acesso em: 21 set. 2010.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Atividade prática

Apresentando a atividade prática com a planilha "Critérios para avaliação de blogs".
O blog avaliado foi http://alunadearquivo.blogspot.com/ .



INFORMAÇÃO EM MÍDIAS DIGITAIS

Critérios para Avaliação de Blogs


CRITÉRIOS - ANÁLISE

Parâmetros gerais
Tipologia do blog (pessoal, institucional). - Pessoal.
Têm objetivos concretos e bem definidos? - Sim.
Se os objetivos estão definidos, os conteúdos se ajustam a eles? - Sim.
Existe uma política editorial de aceitação de contribuições? - Não.
Tem domínio próprio? - Não.
Tem uma URL correta, clara e fácil de recordar? - Sim.
Mostra, de forma precisa e completa, que conteúdos ou serviços oferece? - Sim.
A estrutura geral do blog está orientada ao usuário? - Sim.
É coerente o desenho (layout) geral do blog? - Sim.
É atualizado periódicamente? - Sim.
Oferece algum tipo de subscrição? - Sim.

Identidade, informação e serviços
A identidade do blog é mostrada claramente em todas as páginas? - Sim.
Existe informação sobre (s) criador(es) do blog? - Não.
Existe um logotipo? - Sim.
O logotipo é significativo, identificável e visível? - Sim.
Existe alguma forma de contato com os responsáveis pelo blog? - Sim.
Nos posts:
- é mostrada claramente informação sobre o autor? - Sim.
- é mostrada claramente a data de publicação? - Sim.
- oferece links permanentes? - Sim.
É dada informação sobre número de usuários registrados e convidados? - Sim.
Existe um calendário de publicação? - Não.
Existe um arquivo onde consultar posts anteriores? - Sim.
Existe alguma declaração ética? - Não.
Oferece links para outros blogs? - Sim.
Oferece links externos a outros recursos de informação? - Sim.
Apresenta uma lista de palavras-chave para cada post? - Sim.
Está traduzido em outros idiomas? - Não.
Existe algum tipo de controle sobre conteúdos polêmicos? - Não.
Possui uma seção de ajuda? - Não.
O link da seção de “Ajuda” está colocado em uma zona visível? - Não possui seção de ajuda.
Oferece uma vista prévia antes de publicar? - Não.
Existe algum tipo de buscador? - Sim.
O buscador encontra-se facilmente acessível? - Sim.
Permite a busca avançada? - Não.
Mostra os resultados de forma compreensível para o usuário? - Sim.
Dispõe de ajuda para realizar a busca? - Não.
Qual o número médio de comentários? (calcular sobre os 10 últimos posts). - Nenhum Comentário.

Estruturas e navegação
A estrutura de organização e navegação está adequada? - Sim.
Tem algum sistema de navegação distinto da navegação por datas? - Não.
Os posts estão classificados tematicamente? - Sim.
Que número de clics são necessários para ver os comentários aos posts? - 1.
Que número de clics são necessários para fazer comentários aos posts? - 2.
Os links são facilmente reconhecíveis como tais? - Sim.
A caracterização dos links indica seu estado (visitados, ativos etc.)? - Sim.
Existem elementos de navegação que orientem o usuário sobre onde está e como desfazer sua navegação? - Não.
Existem páginas “órfãos”? - Sim.
Layout da página:
São aproveitadas as zonas de alta hierarquia informativa da página para conteúdos de maior relevância? - Sim.
Foi evitada a sobrecarga informativa? - Não.
É uma interface limpa, sem ruído visual? - Sim.
Existem zonas em “branco” entre os objetos informativos da página, para poder descansar a vista? - Sim.
É feito um uso correto do espaço visual da página? - Sim.
É utilizada corretamente a hierarquia visual para expressar as relações do tipo “parte de” entre os elementos da página? - Sim.
Acessibilidade:
O tamanho da fonte foi definido de forma relativa? - Sim.
O tipo de fonte, efeitos tipográficos, tamanho da linha e alinhamento empregados facilitam a leitura? - Sim.
Existe um alto contraste entre a cor da fonte e o fundo? - Sim.
Inclui um texto alternativo que descreve o conteúdo das imagens apresentadas? - Não.
O site web é compatível com os diferentes navegadores? - Sim.
Visualiza-se corretamente com diferentes resoluções de tela? - Sim.
Pode-se imprimir a página sem problemas? - Sim.
Visibilidade:
Link: Google. - Sim.
Link: Yahoo. - Não.
Link: MSN. - Não.
PageRank - Não.
Twitter - Não.
YouTube - Não.
Orkut - Sim.
Facebook - Não.
Unik - Não.
Outros. Qual(is)? - Não.


Avaliação global (comentário pessoal)

O blog avaliado é direcionado para profissionais e estudantes da Arquivologia, apresentando conteúdos interessantes, como, por exemplo, anúncios de emprego e concursos, divulgação de congressos e eventos em geral sobre Arquivologia, material para suporte nos estudos, como textos, ferramentas e dicionários, links pertinentes a áreas das Ciências da Informação, Arquivologia, Museologia e Biblioteconomia. A atualização do blog é constante, principalmente com posts de anúncio de emprego com vagas para arquivistas, caracterizando um blog com muitas utilidades para interessados na área da Arquivologia.



Avaliado por: Gabriel Siqueira
Data da avaliação: 13 de setembro de 2010

Fonte
Adaptado de: JIMÉNEZ HIDALGO, Sonia; SALVADOR BRUNA, Javier. Evaluación formal de blogs con contenidos académicos y de investigación en el área de documentación. El Profesional de la Información, v.16, n. 2, p. 114-122, mar./abr. 2007.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Avaliando a Informação em Blogs

Saudações!
Esta semana o tema da atividade é sobre a importância de se avaliar a informação em blogs. Como sempre, apresento minhas impressões sobre a bibliografia recomendada para a atividade e apresento minha experiência sobre o assunto em questão.

Refletindo sobre o assunto, lembro-me de diversas ocasiões em que constatei informações equivocadas publicadas em blogs. Muitas vezes o autor apenas está repassando algo que viu em outro blog que o interessa ou atendendo à pedidos de terceiros, sem levar em consideração a veracidade da informação e sem pesquisar um pouco sobre o assunto para efetuar uma postagem com maior credibilidade. Essa é uma prática muito comum em blogs pessoais. Por isso sempre questiono e duvido do que leio em muitos blogs.

Também ocorre muito: posts informativos sem constar fonte ou referência, o que, na minha opinião, caracteriza informação duvidosa. Também considero duvidoso quando colocam a Wikipedia como referência, pois é um site onde todo mundo pode editar as informações e sempre que procurei algo por lá encontrei informações não suficientes ou demasiadamente equivocadas. Não a vejo como fonte fidedigna.

No domínio da Ciência da Informação, assim como em outras áreas, os blogs servem para promover as relações na comunidade profissional, com base no compartilhamento de informações,fontes, notícias, novidades, atualização de conhecimentos e discussão e expressão de opiniões.

Blogs devem ser considerados como disseminadores de comunicação e informação, cabendo à eles as características de autenticidade, integridade, conservação e credibilidade.

São aspectos considerados relevantes em um blog: a atualidade dos posts, seu(s)autor(es) e seu grau de autoridade no assunto abordado, originalidade dos posts e a informação que estes passam, organização, acessibilidade, interatividade, cumprimento dos objetivos, aspecto visual agradável, entre outros. É necessário que se avalie constantemente a qualidade dos blogs que seguimos ou visitamos e muito mais aqueles com os quais colaboramos.

Por hoje é só. Até a próxima!


Referências:

ALVIM, Luísa. A avaliação da qualidade de blogues. Portugal: Universidade de Aveiro,2007. Comunicação no 9º Congresso da APBAD - Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas.

domingo, 22 de agosto de 2010

Sobre Blogs

Saudações.
Atendendo à atividade proposta, venho por meio deste post apresentar um breve resumo da história dos blogs e também descrever um pouco da minha experiência sobre este tema.
Blog (inicialmente era chamado weblog) é o termo que descreve o site pessoal onde, através de constantes atualizações, publicando pequenos artigos conhecidos como posts, o autor manifesta suas opiniões, expressa suas idéias e interage com os leitores, através de comentários.
Blogosfera é o termo que indica o vasto universo de blogs existentes na rede mundial de computadores.

Há quem afirme que o primeiro blog foi justamente o primeiro website existente, construido por Tim Berners-Lee quando criou a Web. Também há quem diga que o primeiro blog foi o blog de Jorn Barger, criado em 1997 e que até hoje mantém a mesma aparência. Os primeiros weblogs propunham dicas de links e websites não muito conhecidos, contendo comentários. Eles tinham as características de uma publicação eletrônica de expressão individual.

A partir de 1999 os blogs começaram a ser utilizados como diário virtual. Durante a propagação destes, surgiram dois conceitos de blog: 1)Blog-agenda - onde o autor registra suas idéias, pensamentos e atividades; 2)Blog-mural - onde o autor expõe artigos de opinião, notícias e imagens de acontecimentos e eventos, e logo veio abordar sobre temas como literatura, música, cultura, etc.

Hoje, os blogs atuam como publicações coletivas de posts com possibilidade de comentários por parte de qualquer participante que tenha vontade de se integrar nesta rede. Os posts e os comentários podem ser habilitados e desabilitados no Blog para outras pessoas interagirem ou não, à critério do autor.
Existem blogs dos mais variados temas: pessoais, informativos, educacionais, colaborativos, científicos, temáticos, fotográficos (flog ou fotolog), organizacionais, etc.

Também existe a possibilidade de postar nos blogs links para arquivos hospedados em sites especializados em compartilhamento de arquivos, como RapidShare, MegaUpload, 4shared, MediaFire, entre outros.

Meu interesse pessoal por blogs começou através do compartilhamento de arquivos no formato "*.pdf". E-books (livros digitalizados) e scans (histórias em quadrinhos escaneadas), que ainda se encontram facilmente em diversos blogs.
Pouco depois de descobrir a existência dos scans, conheci duas extensões de arquivos: "*.cbz" e "*.cbr", que são utilizados com o software gratuito CDisplay, um viazulizador de imagens que executa também imagens compactadas em um único arquivo, com diversas opções de visualização. O programa apresenta também uma ferramenta de redução de amarelo nas imagens, muito útil na leitura de scans de material antigo com as páginas já amareladas devido ao envelhecimento.
Também percebi uma característica interessante dos blogs durante muitas pesquisas em sites de busca e fóruns de discussão: o blog pode ser utilizado como ferramenta de recuperação da informação.
Algumas pessoas tem a nobre intenção de compartilhar material antigo e de difícil acesso em seu suporte original. Isto acontece com revistas, livros, quadrinhos, música, fotografia, video, etc.

Meu primeiro blog foi o Apava, que inicialmente era utilizado por mim e por meu irmão apenas para postarmos videos que assistíamos no youtube e achávamos interessantes o suficiente para expor à outras pessoas. Não demorou muito para que eu começasse a utilizá-lo para divulgar bandas. A princípio algumas poucas, daqui do Rio Grande do Sul, e em pouco tempo bandas do Brasil inteiro. Sempre bandas de música pesada ou alternativa, como de Rock'n'Roll, Hard Rock, Punk Rock, Hardcore, Heavy Metal, Thrash Metal, Death Metal, etc.
Compartilhei, através do blog, demo-tapes, as quais digitalizei, de extintas bandas locais que eram procuradas por um número considerável de usuários e até então eram consideradas material raríssimo e poucos tiveram acesso.
Este blog começou a ter um número expressivo de visitações diárias, e, com o passar do tempo, foi ganhando novos colaboradores e fazendo parcerias com outros blogs e seus autores. Assim, o blog passou a abranger diversos temas além de música: humor, arte, quadrinhos, filmes, desenhos animados, etc.

Há uma discussão ainda vigente, não só perante aos blogs, mas em toda a rede, sobre violação de direitos autorais e intelectuais. Ocorre muito freqüentemente a situação de blogs sendo apagados em decorrência de denúncias. Diariamente blogs desaparecem por este motivo.
Penso que, quem realmente gosta daquilo que baixa na intenet, gostaria de ter, pelo impulso de colecionismo muito comum do ser humano, o material original, o cd original, o gibi original, o livro original. É uma opinião expressada por muito usuários que conheço e é a opinião a qual eu defendo.
Houve recentemente uma crise nos scans brasileiros, onde editoras denunciaram blogs que apresentavam links de download destes.
Eu concordo que violar direitos autorais não é uma prática tão nociva para os produtores intelectuais por trás das obras, pelo menos nestes casos onde, todos sabemos, quem lucra com estes direitos são as gravadoras (no caso da música) e as editoras (no caso dos livros e quadrinhos), sendo direcionado aos autores uma parcela muito pequena dos lucros gerados pelas vendas destes produtos.
No caso da música, hoje em dia muitas bandas, conjuntos, cantores, etc, concordam que, o importante é o público ter acesso ao seu trabalho não interessa quais os meios, pois apresentando-se ao vivo obtém-se muito mais lucro do que na venda dos registros fonográficos. O que não se pensava 10 anos atrás, quando o Metallica processou o Napster.
No caso dos scans, acho louvável a atitude de quem os distribui. Eles escaneiam exemplares importados recentes e traduzem e diagramam as histórias que só serão lançadas por alguma editora brasileira daqui um longo período de tempo (tempo mais curto que já vi foi de 1 ano).

Analisando a maneira como evoluiu o conceito de blog desde suas origens, constato que o autor é livre para compartilhar com seus leitores as informações que deseja, com diversas opções de apresentação além do texto e do hipertexto.

Por enquanto é só. Até a próxima!


Referências:

SOUZA, Paulo Jorge et al. A Blogosfera:. Cadernos Bad: Novos espaços na Web: os blogs na área da documentação e informação , Lisboa, n. , p.87-137, 2007.

VICENTE. Você sabe quem criou o primeiro blog? Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2010.

SALES, Márcia. Qual é a história dos blogs? Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2010.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Apresentação

Saudações. Inauguro o blog com este post.
Claro que, primeiramente, tornei-me seguidor do meu próprio blog. Também inseri o banner do Apava (supressão da palavra "apavorado"), um blog com o qual também colaboro (quando dá tempo e/ou quando surge algo interessante pra postar lá).
Feito este novo blog, espero a primeira atividade a ser proposta pela Professora Helen Beatriz.
Até a próxima!